Como desvendar os ‘segredos’ de uma caixa-preta

By -

A BBC teve uma rara oportunidade de visitar um laboratório que analisa dados das caixas-pretas de aviões como parte das investigações de acidentes.

Localizado em Farnborough, no sul da Grã-Bretanha, o laboratório é apenas um de três em toda a Europa e é similar às instalações em que serão analisadas as caixas-pretas do voo QZ8501 da AirAsia, que caiu nas águas territoriais da Indonésia.

O laboratório tem isolamento acústico e é magneticamente blindado para bloquear aparelhos de escuta.

Leia mais: Quem inventou a caixa-preta

De acordo com a legislação internacional, as únicas pessoas que podem escutar as gravações são os investigadores e membros da tripulação.

Corrosão

Alto-falantes pelas quatro paredes ajudam a recriar a atmosfera de um cockpit.

A gravação de conversas e sons do cockpit é carregada em computadores e analisada pelos peritos.

Mas antes disso há passos importantes a serem tomados.

150113131301_caixa_agua_624x351_reuters_nocredit

Caixas-pretas recuperadas de quedas no mar são colocadas em água doce para reduzir os efeitos da corrosão pelo sal

No caso da AirAsia, por exemplo, os peritos mergulharam as caixas-pretas em água doce para evitar a corrosão pela água salgada depois de duas semanas submersas.

Depois, os peritos precisam checar se os circuitos – ou fitas magnéticas no caso de aviões mais velhos – estão completamente secos, para evitar perda de dados.

Leia mais: Após dois anos, incógnitas ainda marcam investigações do AF 447

Isso é feito colocando os circuitos – um para as gravações de cockpit e outro para os dados técnicos do comportamento da aeronave – dentro de armários desumidificadores.

“As gravações de voz no cockpit podem fornecer informações quase instantâneas para responder perguntas que os investigadores têm em mente”, disse à BBC Mark Ford, da AAIB, a agência britânica que investiga desastres aéreos.

150113131416_caixa_circuito_624x351_bbc_nocredit

Nos aviões mais modernos, as gravações da caixa-preta são feitas em circuitos eletrônicos em vez de fitas

Os peritos se interessam tanto pelas vozes de pilotos e da tripulação como por ruídos de fundo.

“Procuramos também pelo som atrás dos sons. Informações, por exemplo, que podem dar pista sobre o funcionamento dos motores”, completou Ford.

A parte mais complicada é a análise de dados técnicos (sons e dados são gravados por caixas-pretas diferentes).

Depois, o conteúdo das duas caixas é analisado em conjunto para que se tenha uma maior ideia do que possa ter ocorrido.

 

Visto em: BBC Brasil

César Augusto

Sou César Augusto, tenho 21 anos atualmente, graduando em Ciência da Computação pela UFBa, meus gostos são diversos a depender do momento e o lugar, as vezes nada mais aconchegante que ficar em casa curtindo o tempo e assistindo algo que me faça rir outra hora que quase já se faz outrora rs gosto de sair e principalmente sentir o ambiente e a natureza que se faz presente ao redor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>